Spread Your Wings


Michael Phelps escreveu, nesta terça-feira, aquele que deverá ser o capítulo mais importante na história das Olimpíadas de 2012. Após conquistar uma prata e um ouro, ele igualou e superou no mesmo dia o recorde de medalhas que pertencia à ginasta soviética Larysa Latynina que ganhou 18 entre os Jogos de 1956 e 1964.

Curiosamente, a 18ª medalha olímpica de Phelps deve ter sido a com o gosto mais amargo. Nos 200m borboleta, ele dominou a prova toda, mas perdeu na batida de mão para o sul-africano Chad le Clos. Depois, no revezamento 4 x 200m livre, os Estados Unidos levaram o ouro sem dificuldade. Phelps subiu ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez em Londres e 15ª vez em Olimpíadas. Para se ter uma ideia, o Brasil conquistou 21 medalhas de ouro em toda a história dos Jogos.

Estranho é notar a quantidade de pessoas que torcem contra o nadador norte-americano. Nada disso vai diminuir o tamanho do feito de Phelps, mas qual é o problema em curtir a chance de viver o momento histórico de um atleta? Parece que cada vez mais o fracasso do outro, mesmo quando esse conquista algo com muito trabalho e dedicação, é motivo para festa. Mas a torcida desses não são suficiente para parar Phelps.

“Spread your wings and fly away. Fly away far away”. Phelps pode se aposentar das competições, pode parar de nadar, pode ir pra casa e curtir dezenas de Olimpíadas pela TV que talvez não viverá para ver seu recorde ser batido. “Now it was time. He’d made up his mind. ‘This could be my last chance'”. A história está escrita. Como diria o Queen, agora o mito é um homem livre. Mas ele ainda vai nadar algumas provas em Londres…

Brasil e os jogos de tênis infinitos

Mesmo sendo um atleta dos Estados Unidos, o dia de Michael Phelps torna quase irrelevante a eliminação precoce do judoca brasileiro Leandro Guilheiro, favorito ao ouro, ou a derrota do futebol feminino para as donas da casa. Incrível mesmo nesta terça-feira, só a batalha entre o francês Jo-Wilfried Tsonga e o canadense Milos Raonic. Após o último set com duração de três horas, o representante da França bateu o adversário por 2 a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 25/23. Nas duplas, o jogo dos brasileiros Melo/Soares foi interrompido por falta de luz natural quando o terceiro set estava 18 a 18 contra os tchecos Berdych e Stepanek.

Imagem do dia:

Vídeo: Natación 4×200 libres (final)

NY Times

Phelps (2º esq-dir) posa com a sua 19ª medalha olímpica ao lado dos companheiros do revezamento 4×200 livre

E nesta quarta-feira….

Fique de olho:

Nome: James Magnussen
Idade: 21 anos
País: Austrália
Esporte: Natação
Por que ficar de olho? O australiano é o favorito na prova em que César Cielo foi bronze em Pequim, os 100m livre.

Imperdível:

16h17: Final 100m livre – Natação

Too Much, Too Young

O que você estava fazendo quando tinha 15 anos? A nadadora Ruta Meilutyte estava ganhando o primeiro ouro da Lituânia nos 100m peito, nesta segunda-feira (30). Pode parecer muito para a jovem, mas certamente é muito mais fácil de lidar do que com uma eliminação por um movimento ilegal, como no caso da judoca brasileira Rafaela Silva, de 20 anos.

Nadando ao lado de atletas experientes e outrora campeãs, Ruta sobrou na sua prova. Brincou. E só ficou sem fôlego na hora em que teve que subir ao pódio pra receber seu brinquedo mais brilhante. A atleta lituana não conseguiu conter o choro. Uma alegria de quem sabe o tamanho de sua façanha. Uma imagem que entra pra história dos Jogos de 2012.

Já Rafaela nem perdeu tempo em segurar as lágrimas. Desabou de chorar no tatame. Ela dominava sua luta quando foi desqualificada por realizar um movimento que passou a não ser permitido em uma mudança de regra recente no judô. O sofrimento enfrentado por Rafaela ao longo de toda a vida parecia que seria recompensado com a volta para casa com uma medalha no peito. Vai ficar para 2016, em casa.

As emoções do esporte não respeitam idade, mas quando meninas têm que lutar como adultas, suas glórias e seus fracassos parecem ainda maiores ou ainda mais doloridos. “You’ve done too much. Much too young”, já diziam os ingleses do The Specials, há mais de trinta anos. Serve para as vitórias, serve para as derrotas.

Brasil

As meninas perderam no basquete e vôlei, ganharam no handebol e vôlei de praia, com Juliana e Larissa. Cada vez mais parece que as vencedoras do dia caminham para uma medalha – a dupla da praia para a dourada. E cada vez mais parece que basquete e vôlei ficarão pelo meio do caminho. Como ficou a nadadora Joana Maranhão na primeira prova disputada em Londres.

Imagem do dia:

Hannah Johnston/Getty Images

A sul-coreana Lam Shin ficou por mais de meia hora sentada na pista de esgrima após a polêmica derrota para a alemã Britta Heidemann. No esporte, deixar o local da competição é aceitar a derrota, mas a atleta reclamou que o cronômetro não correu como deveria. Em vão. Os juizes confirmaram a vitória da representante da Alemanha e a coreana teve que disputar o bronze, mas acabou sem medalha

E nesta terça-feira….

Fique de olho:
Jed Jacobsohn/Getty Images
Nome: Leandro Marques Guilheiro
Idade: 28 anos
País: Brasil
Esporte: Judô
Por que ficar de olho? Medalhista de bronze em Atenas e Pequim, o brasileiro chega como grande favorito ao ouro na categoria até 81 quilos.

Imperdível:

15h47: 200m borboleta – Natação. Michael Phelps pode se tornar o maior medalhista olímpico da história.

See Me, Feel Me

A dor da despedida, a alegria da vitória e o inexplicável sentimento da superação. O dia do adeus da atleta que fez a ginástica artística brasileira ser reconhecida também foi marcado pela eliminação dos campeões europeus de futebol para Honduras. E a superação hondurenha só não pode ser comparada a da atleta polonesa Natalia Partyka que ignorou a limitação física para competir no tênis de mesa.

O esporte tem momentos com os quais é impossível não se emocionar. É impossível não parar pra assistir, não sentir, não torcer. Mesmo sem uma mão e parte do braço, Partyka compete entre as melhores atletas do mundo na sua modalidade e entra para história ao lado de atletas que deixam os jogos sem medalha, mas campeões.

Como são vencedores os jogadores de Honduras que derrotaram a poderosa Espanha no futebol. Onze anos após eliminar o Brasil da Copa América, o país da América Central aprontou de novo e abriu o caminho de Neymar e companhia para a conquista do ouro. Derrotado pelo Senegal, o Uruguai parece incapaz de parar o Brasil que não teve dificuldades contra Belarus.

Quem vai ficar sem medalha olímpica é Daiane dos Santos. A ginasta brasileira mais vencedora da história não chegou a Londres como favorita como em edições passadas. Hoje ela ficou oficialmente fora da disputa e anunciou que não competirá mais pela seleção brasileira, dizendo adeus aos Jogos Olímpicos.

Na letra do The Who, o sentimento para o adeus de Daiane, a vitória de Honduras e a participação de Partyka nestas Olimpíadas. “Right behind you, I see the millions. On you, I see the glory. From you, I get opinions. From you, I get the story”.

Brasil

Sem medalhas, o domingo foi marcado pela vitória dos homens no basquete, no futebol e no vôlei e pela eliminação precoce no judô e nos 4x100m livres na natação. A vela começou bem. A dupla dos favoritos Scheidt e Prada largou na frente na disputa da classe Star e segue como uma das principais esperanças de ouro para o país.

Imagem do dia:

Mesmo eliminada, Natalia Partyka provou que sua limitação física não a impede de competir em alto nível

E nesta segunda-feira….

Fique de olho:

Reuters
Nome: Michael Fred Phelps II
Idade: 27 anos
País: Estados Unidos
Esporte: Natação
Por que ficar de olho? Com 17 medalhas olímpicas (14 de ouro) na carreira, Phelps disputará as eliminatórias dos 200m medley para tentar conquistar mais uma medalha em competição individual. No domingo, ele ganhou a primeira medalha em Londres após participar do revezamento 4x100m livre norte-americano que ficou com a prata.

Imperdível:

12h45: Estados Unidos x BRASIL – Vôlei feminino (fase de grupos)

Celebration Day

Um dia entre os grandes. Uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze colocaram o Brasil em um patamar inesperado no primeiro dia oficial de competições em Londres.

O Brasil está longe de ser uma potência esportiva e sua política de investimento e incentivo ao esporte é, na maioria das modalidades, uma vergonha para um país de dimensões continentais e com uma das maiores economias do mundo. Por esse fator, os atletas que voltam com medalhas ou que superam as expectativas merecem ser muito comemorados.

Ao que tudo indica, o judô é um daqueles exemplos de trabalho que está sendo bem feito. A equipe brasileira reuniu mais de 50 mil vídeos de lutas de adversários e fez uma preparação detalhada para colher os frutos olímpicos que renderam um ouro e um bronze só no primeiro dia.

Na natação, que ainda é muito dependente da capacidade individual dos atletas de conseguirem clubes e condições de treinos dignas, a prata de Thiago Pereira serviu pelo menos para apagar a imagem de um atleta que ficou rotulado por só ganhar em Pans.

O desempenho brasileiro no sábado chegou a deixar o Brasil no topo do quadro geral de medalhas por algumas horas, algo inédito. Não quer dizer que todos os problemas estão resolvidos, mas é motivo para celebrar. “My, my, my, I’m so happy. I’m gonna join the band. We are gonna dance and sing in celebration”. Que os campeões se juntem ao Led Zeppelin nesse dia de festa.

Imagem do dia:

Reuters

O ouro de Sarah Menezes

E neste domingo….

Fique de olho:

Nome: LeBron Raymone James
Idade: 27 anos
País: Estados Unidos
Esporte: Basquete
Por que ficar de olho? O Dream Team dos Estados Unidos estreia nos Jogos contra a França. A expectativa é que a equipe dê show e qualquer resultado que não o ouro seria decepção. Resta saber como os norte-americanos vão lidar com a responsabilidade.

Imperdível:

16h54: Revezamento 4×100 – Natação (possibilidade de Brasil na final)

For The Girl

O primeiro dia olímpico começou dourado para o Brasil. A conquista de Sarah Menezes na categoria até 48 quilos no judô feminino foi o primeiro título de uma mulher no esporte. Para completar a festa do judô no primeiro dia de competição, Felipe Kitadai ganhou bronze na categoria até 60 quilos.

Entre chutes e hematomas, como diz a música For The Girl dos britânicos do The Fratellis, a jovem de 22 anos colocou o Brasil no topo do ranking de medalhas por algumas horas neste sábado (28).

For The Girl foi um dos maiores sucessos do álbum Costello Music, que marcou a estreia dos Fratellis, banda que existiu entre 2006 e 2009, mas acenou com a possibilidade de retorno recentemente.

Já os judocas brasileiros retornam ao tatame neste domingo. O país tem representantes em todas as categorias sendo que em seis delas existem brasileiros entre os cinco primeiros, além de Sarah.

Que os brasileiros e principalmente os piauienses recebam a menina de ouro do Brasil com muita festa.

Confira a luta de Sarah na íntegra: http://rederecord.r7.com/londres-2012/noticias/sarah-menezes-enaltece-trabalho-psicologico-muito-forte-de-sua-treinadora/

Música medalha de ouro

As Olimpíadas de Londres começaram oficialmente nesta sexta-feira (27) e os ingleses garantiram a medalha de ouro na música. Com tantas bandas e músicos nascidos no país, fica difícil imaginar que os Jogos sejam superados no quesito qualidade musical.

Desde os primórdios do rock até os ritmos mais modernos, a musicalidade inglesa foi demonstrada com canções de Beatles, Rolling Stones, Queen, Eric Clapton, The Who e Pink Floyd, passou pelo punk rock dos Sex Pistols e The Clash, new wave do New Order e o rock mais moderno do Muse e do Kaiser Chiefs, além de ritmos eletrônicos, hip hop e pop.

As apresentações ao vivo ficaram por conta dos jovens do Arctic Monkeys que tocaram I Bet You Look Good On The Dancefloor e Come Together, cover dos Beatles.

Arctic Monkeys – London Olympic Games 2012 from Arctic Monkeys France on Vimeo.

Já Sir Paul McCartney foi responsável pelo encerramento da cerimônia com Hey Jude

Confira abaixo todas as músicas executadas na cerimônia. Acredito que algumas não tocaram por conta da duração do evento. A lista foi divulgada pela Revista Trip.

Parte I

Captain Algernon Drummond, William Johnson Cory – “Eton Boating Song”
Elgar, AC Benson – “Land of Hope and Glory”
The Jam – “Going Underground”
Muse – “Map of the Problematique”
Sex Pistols – “God Save the Queen”
The Clash – “London Calling”
Simon May – “EastEnders Theme”
Sir Hubert Parry, William Blake – “Jerusalem”
Elgar – “Nimrod”
Handel – “Arrival of the Queen of Sheba”
Eric Coates – “Dambusters March”
Handel – “Music for the Royal Fireworks”
Monty Norman – “James Bond Theme”
Mike Oldfield – “Tubular Bells”
Mike Oldfield – “In Dulci Jubilo”
Vangelis – “Chariots of Fire”
Arthur Wood – “The Archers Theme”
Winifred Atwell – “Black and White Rag”

Parte II

Sugababes – “Push the Button”
OMD – “Enola Gay”
David Rose – “The Stripper”
Lionel Bart – “Food Glorious Food”
Irwin Kostal, Richard Sherman, Robert Sherman – “Bedknobs and Broomsticks”
Rizzle Kicks – “When I Was a Youngster”
Eric Clapton – “Wonderful Tonight”
Colin Tully – “Gregorys Girl Theme”
William Pitt – “City Lights”
The Who – “My Generation”
The Rolling Stones – “Satisfaction”
Millie Small – “My Boy Lollipop”
The Kinks – “All Day and All of the Night”
The Beatles – “She Loves You”
Mud – “Tiger Feet”
Led Zeppelin – “Trampled Under Foot”
The Specials – “A Message to You Rudy”
David Bowie – “Starman”
Queen – “Bohemian Rhapsody”
Sex Pistols – “Pretty Vacant”
Duran Duran – “The Reflex”
New Order – “Blue Monday”

Parte III

Frankie Goes to Hollywood – “Relax”
Soul II Soul – “Back To Life”
Happy Mondays – “Step On”
Eurythmics – “Sweet Dreams (Are Made of This)”
The Verve – “Bittersweet Symphony”
Prodigy – “Firestarter”
Underworld – “Born Slippy”
Jaan Kenbrovin, John William Kellette – “Im Forever Blowing Bubbles”
Blur – “Song 2”
Dizzee Rascal – “Bonkers”
Tigerstyle – “Nacnha Onda Nei” (mix com Michael Jackson – “Billie Jean”, Queen & David Bowie – “Under Pressure” e Ilaiyaraaja – “Naanthaan Ungappanda”)
Arctic Monkeys – “I Bet You Look Good on the Dancefloor”
Mark Ronson & Amy Winehouse – “Valerie”
Radiohead – “Creep”
Muse – “Uprising”
Kano & Mikey J – “Random Antics”
Tinie Tempah – “Pass Out”
MIA – “Paper Planes”
Coldplay – “Viva La Vida”
The Chemical Brothers – “Galvanize”

Parte IV

Franz Ferdinand – “Take Me Out”
Kaiser Chiefs – “I Predict a Riot”
Roll Deep – “Shake a Leg”
Adele – “Rolling in the Deep”
Oasis – “The Hindu Times”
Oasis – “Wonderwall”
Emeli Sande – “Heaven”
William Monk/Henry Francis – “Abide With Me”
Pink Floyd – “Eclipse”
The Beatles – “The End”
The Beatles – “Hey Jude”
David Bowie – “Heroes”
Eric Spear – “Coronation Street Theme”
Ron Grainer – “Doctor Who Theme”
John Philip Sousa – “Monty Python Theme/The Liberty Bell”
David Bowie – “Absolute Beginners”

Survival


A espera terminou. Hoje é dia de Londres 2012. Dezenas de países, milhares de atletas. Decepções, alegrias e centésimos de segundos que separam o fracasso da glória.

Chegou o dia de viver emoções que só o esporte é capaz de provocar. Vibrar e sofrer com atletas que se transformam em máquinas para competir, mas voltam a ser humanos após um erro ou com o choro de quem conquistou uma medalha. Seres humanos que podem não imaginar nossa existência, mas são capazes de sentir os milhões que estão nos seus países enviando, de alguma forma, seu apoio.

Superar um tempo, superar o adversário, ser o melhor, estar no topo do mundo. Ignorar os limites definidos pela ciência, as barreiras políticas ou as crises econômicas. Que sejamos lembrados também como seres que, pelo menos de quatro em quatro anos, sabiam celebrar a vida através do esporte.

Eu direi que vi Usain Bolt superar os limites da velocidade. Que vi Michael Phelps se tornar o maior vencedor olímpico de todos os tempos. Que vi Roger Federer fazer mágica sobre o gramado de Wimbledon. E vi Cesar Cielo, Robert Scheidt, Maurren Maggi, Fabiana Murer, Marta, Neymar, Anderson Varejão, representando o meu país.

Se você acha que é só um evento esportivo…azar o seu. Hoje vou ver os gênios do esporte e da música unidos, no Estádio Olímpico de Londres, celebrando o verdadeiro show da humanidade.

Que comece a festa e que nós possamos sobreviver.

A bela música dos ingleses do Muse é o hino dos jogos. Veja o vídeo oficial